quarta-feira, fevereiro 18, 2009

Completar e complementar

Login, entrando... Conectado! Estava lá, para quem quisesse ver, no nick do MSN: I don’t need somebody to complete me. Assim mesmo em inglês. Traduzindo ao nosso querido português, soaria: Eu não preciso de ninguém para me completar. Não falei nada para pessoa, mas fiquei muito feliz por ela.

O amor é lindo, é feito de entregas por ambas as partes, tem seu valor, e sem ele a vida não seria a mesma. O problema é que é necessário se amar primeiro para depois amar outra pessoa. Saber que com todos esses defeitos e imperfeições, eu sou o que sou e gosto do que vejo. Não precisamos de ninguém para nos completar, mas sim complementar. Somos pessoas inteiras, sem partes faltantes.

Quando surge alguém especial, a vida ganha outro colorido. Faz-te pensar em coisas que não pensava, lembrar dele(a) quando lê aquele poema, ouve aquela música, passa por aquele lugar. No entanto, como uma flor, o amor também pode morrer se não soubermos cultivá-lo. Se isso acontecer, sem a flor, ficamos com o vaso, sem o amor, ficamos com nós mesmos. Por isso, mesmo amando alguém, é necessário cultivar uma boa dose de amor próprio. É preciso pensar em si mesmo como um vaso bonito. Por si só já é belo e decorativo. Um vaso que ao ganhar uma flor tem sua beleza complementada, dando-nos outro brilho. Assim somos nós: respiramos e existimos por conta própria, mas com amor a vida adquire novos ares.

Um comentário:

*George* disse...

Servi de exemplo, bjs