quinta-feira, fevereiro 26, 2009

Fragmentos

Esse ano mal começou e já aconteceu tanta coisa. Uma verdadeira montanha russa. Hora lá em cima, hora lá embaixo. Tudo tão intenso. Detalhe dois meses. Medo dos dez meses que vem vindo pela frente.
***
Daí que me falaram para eu viver a minha vida, que nenhuma pessoa vale a pena. Justo para mim. Eu que acreditava que o único sentido da vida eram os afetos. Eu que nunca perdi a fé no ser humano, embora sempre soube que uma hora ou outra as pessoas vão me decepcionar. Meu coração se machuca, cicatriza e como lagartixa se regenera. Só que dessa vez eu não sei se vai regenerar, e quanto tempo vai durar até isso acontecer. Sempre achei coisa de gente mal amada aquela frase de quanto mais conheço o homem, mais gosto do meu cachorro. O pior de tudo? Tô começando a achar que isso é uma verdade. Medo de decepção. "Nem desistir, nem tentar, agora tanto faz". Não é por ti que eu choro. É por tanta coisa. Talvez, seja por mim. E eu nem sei se vale a pena.
***
Às vezes, me dá uma saudade da época em que eu não era tão humano. Da época em que eu sentia quase nada. Da época em que meu coração não se quebrava facilmente. Do tempo em que eu não sabia que o mundo é um ovo, e que ele dá voltas. Tanto medo da próxima volta.

"... sem direção, voando só por voar ..."

Nenhum comentário: