domingo, março 01, 2009

O amor que cala

Poderia ser sua vizinha, poderia ser um número no noticiário, poderia ser a sua mãe, mas aconteceu com ela, a cantora Rihanna. Seu marido a espancou. Até aí nenhuma novidade, a não ser que aconteceu com uma cantora famosa. Porque todos dias milhares de mulheres apanham do marido, aguentam caladas cada pancada e a dor e as marcas que ficam depois.

O que leva um cara a fazer isso? A resposta não é se x, então y. Nada de linearidade. Isso é coisa das ciências exatas. Com certeza, devem existir milhões de fatores que incidem esse tipo de comportamento. O que me choca de verdade é alguém te agredir, te violentar e, no fim, tu aguentar tudo calado. Ela não tem filhos, então, dá para descartar a hipótese de que ela apanha calada por causa deles. Ela é jovem, tem possibilidade de iniciar outro relacionamento a hora que quiser. Eu não consegui outra explicação que não a tão clichê, o amor. Tem que amar muito para aguentar uns tapas na cara. Tem que amar muito para se reconciliar com o cara, e inventar uma história para safá-lo, o que acabou acontecendo.

Uma das coisas mais surpreendentes no amor é que ele não é racional, não tem explicação. Por mais que existam evidências concretas de que ele é um canalha, ela ainda gosta dele. Por mais que ela saiba que deve partir para outra, ela continua com ele. E não adianta falar, explicar, porque tem coisas que entram no cérebro, mas não no coração. Whitney Houston declarou "Não cometa os mesmos erros que eu cometi. Quando você deixa o seu coração controlar sua cabeça, você está destinada a ter problemas". Não sei da história da Whitney, mas, pela declaração, percebe-se que foi outra que levou algumas pancadazinhas. E ela tem suas recomendações para outras vítimas. Mas como enfiar no coração algo que a cabeça tá careca de saber? O amor emburrece. E se não fosse isso, muitas loucuras não seriam feitas. Se não fosse isso, muita coisa não valeria a pena. Vai entender.

Nenhum comentário: