domingo, março 08, 2009

Partindo o passado

Uma amiga minha está partindo. Sei que vai ser melhor para ela. Penso por esse lado para não pensar em sua ausência. Não queria que ela partisse, mas é da vida partir. Às vezes, é necessário partir em busca do novo, sair de onde sempre estivemos. Simplesmente ir. Depois se pensa em voltar. Descobrir o que vem pela frente para depois pensar se vale a pena voltar para trás.

Quem vai, sofre. Porém, o sofrimento acaba sendo diluído entre tantas descobertas que vão acontecendo para a pessoa que está indo. Quem fica, sofre mais. Ter que se acostumar com a ausência da pessoa que até então estava ao nosso lado não é fácil. Enquanto a outra pessoa está buscando coisas novas, você vai ter que procurar coisas novas ou velhas para preencher esse espaço que ficou em branco. Dói saber que quem sempre estava aqui, agora não está mais. Por mais que tenha sido bom para a pessoa partir, o coração não ouve a razão. Mesmo sabendo que foi o melhor a ser feito, sofremos. E continuamos sofrendo a cada vez que encontrarmos algo que nos lembre da pessoa que partiu. Cartas, papéis, lugares... Tudo está guardado na nossa memória e desperta a lembrança de alguém que se foi. Guardamos tudo para um dia lembrar o quanto fomos felizes naquele momento. Sejam lembranças, sejam objetos. Acessar essas recordações é reviver o que elas significaram. Às vezes, é bom e prescindível reviver o que passou.

Uma vez me falaram que uma pessoa com depressão é alguém que ficou apegado ao passado. Não é bem assim. Se o presente não tem sido generoso, por que não voltar para um tempo em que éramos um pouco mais felizes? Entra em jogo como a pessoa lida com a sua vida. Se o teu presente não tem sido lá dos melhores, tu tens duas opções a fazer. A primeira é se enterrar, voltando-se ao passado, cultivando lembranças de um tempo dourado e ficar esperando por dias melhores. A segunda opção é se desvencilhar do passado e lutar por um presente melhor. O passado foi bom, foi. No entanto, ele se foi e tu ficaste. Se ficarmos vivendo do passado, não deixaremos o presente entrar na nossa vida. Nisso, muitos presentes passarão por nossa vida por conta de um apego ao passado. É necessário passar um remédio naquelas velhas feridas que seguem conosco e se permitir recomeçar. Recomeçar não é apagar tudo e começar do zero, mas sim dar um novo fim para aquilo que já começou.

Um comentário:

Greicy disse...

"É necessário passar um remédio naquelas velhas feridas que seguem conosco e se permitir recomeçar. Recomeçar não é apagar tudo e começar do zero, mas sim dar um novo fim para aquilo que já começou. "

Lindo!!!!
Vou ser uma presença constante no teu blog!!!

Beijão.