sábado, julho 18, 2009

Apenas sinta.

Eu ia escrever mais um post sobre uns assuntos que de fato me angustiam. Afinal, é pra isso que escrever serve, para organizar as ideias que provavelmente estão confusas dentro da cabeça de quem escreve. Mas desisti, e eu tenho desistido de tanta coisa ultimamente.

Enfim, voltando ao que eu queria dizer: às vezes eu sito que tenho me auto-sabotado. Comecei a vislumbrar que a felicidade é feita apenas de sentimentos. Logo, sem palavras, o bem-estar encontra-se no plano das sensações, não no plano da linguagem, da descrição. Então, fico me questionando para que tanto falar, tanto pensar, tanto chegar a lugar nenhum... Dizem que o homem é o animal mais evoluído, por conta de sua linguagem. Esquecemos, muitas vezes, que ser o mais evoluído não é sinônimo de mais feliz, mais pleno, ou até mesmo de melhor. Talvez eu esteja pregando que feliz mesmo é o cachorro, que não pensa. Talvez eu tente me convencer disso.

Uma evidencia do que eu disse de que o bom é apenas sentir aconteceu já faz um tempo entre amigos, quando uma amiga confessou à gente: eu não sei se ele é feio, ou bonito, só sei que gosto dele. Simples assim, sem ter necessitado dar cinquenta voltas ao mundo, leia-se complicar. Quem dera se tudo na vida fosse assim, não sei se é assim ou se é assado, apenas gosto/não gosto, apenas quero/não quero. Sem a necessidade de refletir demasiadamente sobre o assunto, e às vezes acabar ficando no plano da reflexão.

A plenitude, o estar bem, a felicidade em si encontram-se todos nos planos dos instintos. Pelo menos são eles que nos permitem alcançar tais estados de satisfação. Somos tão animais quanto os cachorros. No entanto, ganhamos algo além do cachorro, a mente, a capacidade de pensar, a capacidade de significar fatos, pessoas e seja lá o que for. E aí começamos nossos piores pecados, já que perdemos tanta coisa por conta dessa habilidade de pensar. Questionamos tantas coisas, e algumas vezes tudo o que temos são questionamentos. Não encontramos as respostas!

No entanto, é bom ter em mente que se não fosse a nossa capacidade de pensar, nossas emoções seriam sempre as mesmas e o mundo seria um mundo animal. As pessoas brigariam pelas coisas como animais, ninguém ia sentar para discutir e refletir. É uma emoção despertada, uma resposta emitida e assim vai sendo. Ganha quem bater mais forte e fazer o maior estrago. Se nossas emoções se manifestam no plano instintual, é no plano da linguagem que vamos tentando viver civilizadamente.

Nenhum comentário: